A qualidade alimentar nas Clínicas e Hospitais e o processo de cura de pacientes

A QUALIDADE ALIMENTAR NAS CLÍNICAS E HOSPITAIS E O PROCESSO DE CURA DE PACIENTES

Tradicionalmente, os alimentos nos hospitais não gozam de boa reputação. No entanto, atualmente as clínicas tornaram-se conscientes da importância que tem o cuidado nutricional dos pacientes hospitalizados, não só para que estes devam ser mantidos bem alimentados, mas também para aproveitar o momento e sua alimentação. Uma desvantagem enfrentada por aqueles que são para dar a pessoas doentes comer é precisamente a falta de apetite que geralmente sofrem com a doença, mas para recuperar e recuperar a saúde o mais rapidamente possível, que estes ainda são uma boa nutrição é um requisito essencial.

É por isso que os cardápios são servidos em hospitais não apenas pelo controle rigoroso da qualidade dos alimentos, mas também requerem um longo processo de planejamento para garantir que cada paciente receba os nutrientes de que precisa, evitando os alimentos ou aditivos nocivos à saúde e desfrutando o bem-estar que fornece o tempo da comida. Há muitos detalhes que devem ser atendidos na cozinha e no serviço de cardápio dos doentes e, além disso, os hospitais precisam fazê-lo com um orçamento reduzido. Felizmente, hoje em dia, existem soluções de computação que facilitam essa tarefa e permitem reduzir o tempo e os custos, além de evitar, em maior grau, o desperdício. Contratar serviços profissionais que tenham um software para manter um olho na qualidade dos alimentos é a solução ideal para dar aos pacientes o melhor atendimento e economizar custos.

Um corpo mal nutrido ou subnutrido está exposto a uma diminuição significativa das defesas e, nesse estado, o corpo não será capaz de combater as agressões, tornando-se vulneráveis ​​a doenças. Se já se a pessoa é saúde delicada, seu sistema imune pode não executar as funções habituais, inclusive defesa. O medicamento mais importante para um paciente é a nutrição correta. A única evidência que deve ser feita: os idosos que são bem nutridos estão vivendo mais e menos doentes. Enquanto outros países que têm uma dieta pobre, mais prematuramente envelhecimento, sofrendo ossos quebrados, demoram mais para se recuperar da doença e ainda estão mais expostos a sofrer de demência devido à desidratação e falta de nutrientes em seu cérebro.

OBJETIVOS E CARACTERÍSTICAS DA RESTAURAÇÃO HOSPITALAR

O hospital da cozinha ou restaurante tem um objetivo claro: garantir que o paciente se recupere mais rápido e melhor da sua doença. Tão importante quanto os ingredientes utilizados na preparação dos pratos, é o método de elaboração e o cuidado escrupuloso para tratar os alimentos armazenados no máximo de nutrientes, ao mesmo tempo em que são apetitosos. Nesses trabalhos envolveu um grupo de especialistas, como são os líderes e a equipe de gerenciamento, que são responsáveis ​​por planejar os cardápios, comprar os ingredientes e acompanhar todo o processo, desde o cozido até o serviço do prato até os enfermos; os chefes e gerentes de cozinha para garantir que tudo corra como planejado e que não haja falhas na preparação e no serviço dos cardápios e, finalmente, os cozinheiros, ajudantes e auxiliares que são responsáveis ​​por cozinhar a comida, servi-los e manter a higiene da cozinha.

O serviço está completo. Cobre desde a aquisição de provisões para a elaboração dos cardápios, passando pelo controle das dietas e a medida de quantidades, o serviço de comida em um período de tempo correto, a qualidade dos pratos e sua aparência e que esses alimentos mantêm sua temperatura ideal até o momento de ser consumido. Além disso, eles também devem cuidar do orçamento alocado para o seu papel e todo o serviço, tendo em conta que deve dar cobertura a todos os pacientes internados durante todo o ano sem custar exorbitantes para o hospital. O profissionalismo e treinamento do pessoal envolvido são os alicerces do sucesso.

O EQUIPAMENTO USUAL NOS SERVIÇOS DE RESTAURO HOSPITALAR

Além de investir em alimentos de qualidade e variados, esses serviços profissionais também o fazem em equipes que proporcionam uma alta produtividade ao trabalho que realizam:

  • Fogões a vapor: para legumes, peixe, etc., que são cozidos sem gordura e que retêm nutrientes e frescura dos alimentos em poucos minutos.
  • Vapor de convecção de fornos mistos: tem a vantagem de permitir cozinhar várias classes de alimentos de cada vez sem misturar sabores ou odores, o que facilita a preparação de muitas rações ao mesmo tempo. .
  • Fritadeiras Contínuas contínuas: permitem grandes produções e agendam o tempo e a temperatura do óleo.
  • Eletrodomésticos misturados, cozinhando caldeirões: para economizar espaço, óleo, tempo, etc.

AUTOCLAVES DE COZINHAR

Para evitar resfriados usados ​​armários quentes, fornos e banho-maria. A fim de aumentar a produtividade e a eficiência, os sistemas mais comuns na cozinha do hospital são: cozinhar, congelar, cozinhar e cozinhar a vácuo.

O trabalho em equipe e coordenado garantirá bons resultados do serviço. É por isso que é imperativo ter uma empresa profissional que utilize um programa ERP especial para clínicas e hospitais para gerenciar este serviço de forma centralizada e qualificada, você vai ter, com base em sua experiência, coordenar com a equipe qualificada para realizar um bom trabalho a qualquer momento, evitando os distúrbios que poderiam ocasionar a gestão de um grande número de funcionários que, em diferentes momentos, apresentem problemas ou desencanto com seu trabalho. Também é necessário obter comida a um bom preço e maximizar os benefícios evitando a perda de dinheiro e o desperdício de alimentos, comprando e substituindo equipamentos de alta produtividade e sua manutenção ao longo do tempo, cuidando do consumo de energia e aproveitando os espaços.

São regras básicas para a hora de proceder à elaboração dos cardápios, manter e registrar as temperaturas adequadas, ter altos controles de higiene e utilizar ingredientes de alta qualidade. Também é essencial cuidar dos alimentos para que eles possam causar alergias ou intolerâncias alimentares. Evite, em maior medida, os alimentos crus que possam conter microrganismos.

QUE VANTAGENS CONTRIBUEM COM UM SERVIÇO ESPECIALIZADO DE PREPARAÇÃO DE ALIMENTOS?

Além de todas as vantagens descritas acima, a colaboração de um serviço da preparação da comida especializada adquire uma variedade maior e seleção da comida, melhora os padrões, aumenta o valor nutritivo da comida e oferece o serviço inclusivo embora a parte da equipe de funcionários esteja ausente. Todos eles também são vantagens para o consumidor. Para garantir a conclusão bem sucedida do trabalho, há um plano organizado de menus, técnicas de preparação de abas e horários dos menus, desempenho e capacidade dos refrigeradores de temperatura. Também é importante garantir que o pessoal esteja disponível, bem como ter o equipamento necessário e tempo suficiente para a preparação dos vários menus.

Centralizar o serviço implica uma economia significativa, no sentido de reduzir o trabalho necessário e o custo dos alimentos, pois controla o tamanho das rações, além da compra de grandes quantidades a preços reduzidos. O uso de equipamentos de uso intensivo, fora como mais rentável e deve ser desenvolvido uma estratégia de trabalho para organizar os fins de semana sem falta de pessoal nem descontentamento entre os mesmos. Será elaborado um orçamento periódico que irá variar dependendo do tamanho de cada unidade, do número de unidades e do método aplicado ao desenvolvimento dos menus. Além disso, a informatização também contribui para melhorar o atendimento, por meio da automação de pedidos de enfermagem, dos estoques, da listagem de artigos-provedor-preço, do cardápio, das entradas e saídas de gênero.

OS PACIENTES E SUA DIETA

Apresentar um cardápio hospitalar tem vários objetivos, além de garantir sua nutrição adequada. A comida tem o poder de curar ou ajudar a fortalecer as defesas dos doentes e atender às suas necessidades nutricionais, mas também visa romper a sensação de isolamento dos doentes, permitindo que você participe da eleição de seu cardápio e opte por um prato de sua escolha dentro da oferta que seu estado de saúde permite. Os alimentos serão escolhidos pelo pessoal especializado de acordo com seu custo, o custo de sua elaboração, se puderem ser preparados dentro das instalações e permitir sua distribuição sem perder qualidade. Outro requisito é que o caso dos alimentos seja aceito pelos doentes.

MENUS PERSONALIZADOS, ALERGIAS E OUTRAS DISTÚRBIOS

Os cardápios do hospital são orientados para cada paciente e suas necessidades, a ponto de, muitas vezes, as dietas fazerem parte do tratamento médico em prol da sua recuperação. Os alimentos devem ser preparados em relação ao estado de saúde das pessoas, cuidando das quantidades de gordura, sal, açúcar e outros elementos que afetam seu corpo. Pacientes com diabetes, doença celíaca, hipertensão ou alergia devem ser tratados com cuidado especial. Em outros casos, seu médico determinará se um paciente precisa de uma dieta especial, como, por exemplo, pode acontecer com os pacientes do fígado ou outros distúrbios digestivos. Tampouco será a mesma necessidade em relação à ração e aos valores nutricionais dos pacientes que surgiram de uma intervenção cirúrgica ou daqueles que passarão pelo mesmo.

A alimentação hospitalar é uma questão de cuidado que exige estar nas mãos dos profissionais para garantir o melhor tratamento e cuidado aos doentes, e o equilíbrio custo-benefício para os hospitais. É por isso que é extremamente aconselhável contratar uma empresa profissional para gerenciar este serviço de forma centralizada.

 

Artigo contribuição em http://www.delsys.net

Adicionar comentário